sábado, 30 de novembro de 2013

Mais de 800.000 visitantes antes dos 4 anos!


Comecei a publicar este blog "letras e conteúdos" no mês de janeiro de 2010.

O seu objetivo primeiro é o de através dele dar pública nota da minha atividade política, seja na vertente partidária, seja na parlamentar, e também das atividades pessoais, nomeadamente, as relacionadas com eventos culturais e literários.
É evidente que esta é igualmente uma forma de interagir com os meus concidadãos.
De então para cá efetuei 1487 publicações que atingiram os 800.000 visitantes no dia 29 de novembro, o que perfaz uma média de cerca de 200.000 visitas por ano.
Fica o registo para memória futura.

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Entrevista ao portal de informação RUA DIREITA

Entrevista que concedi ao nóvel portal de informação da região RUA DIREITA (www.ruadireita.pt). Este portal tem em Paulo Neto o seu promotor e diretor e está online desde 28 de novembro.
A temática desta entrevista andou em torno das questões relacionadas com a CIM Dão Lafões, com questões político-partidárias e regionais.

Delegação da Assembleia Nacional de São Tomé e Príncipe na Assembleia da República

Os deputados do grupo parlamentar de amizade Portugal - São Tomé e Príncipe efetuaram um almoço de trabalho, dia 28 de novembro, com a delegação parlamentar daquele país que esteve na Assembleia da República, entre 25 e 28 de novembro, no âmbito do programa de cooperação parlamentar luso-santomense. Esta missão da delegação da Assembleia Nacional de São Tomé e Príncipe, da comissão de assuntos económicos e financeiros, teve como objetivo acompanhar a apreciação e discussão do Orçamento do Estado/execução orçamental.
A delegação santomense era composta por três Deputados e um funcionário: Presidente da Comissão dos Assuntos Económicos e Financeiros - Deputado Guilherme Octaviano Viegas dos Ramos (MLSTP/PSD); Deputado Adilson Cabral Managem (ADI); Deputado Gil Mascarenhas da Costa (PCD); Assessor da Comissão - Alcino Quaresma Afonso.
Os deputados do parlamento português que participaram neste almoço de trabalho foram: Carla Cruz, presidente do grupo de amizade (PCP); Acácio Pinto, vice-presidente do grupo de amizade (PS); e os membros do grupo, Maurício Marques (PSD), Miguel Freitas (PS) e José Luís Ferreira (PEV) e o assessor da AR, Nuno Paixão.

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Um satense de visita à Assembleia da República

Foi com enorme prazer que hoje, dia 28 de novembro, recebi na assembleia da república um conterrâneo, natural do concelho de Sátão, da freguesia de Mioma, atualmente a exercer a sua atividade profissional em Lisboa.
Mais do que uma visita aos principais locais da AR - plenário, sala do senado, passos perdidos, salão nobre, biblioteca, varanda principal - foi também tempo para colocar a conversa em dia com um amigo com quem compartilhei alguns bons momentos na Quinta do Porto - Mioma, em verões passados.
Obrigado, Nuno Quinteiro, pela tua visita.


quarta-feira, 27 de novembro de 2013

PSD E CDS chumbaram audição de Nuno Crato na AR, requerida pelo PS

O requerimento do PS para a audição com caráter de urgência de Nuno Crato na comissão de educação ciência e cultura a propósito da prova de avaliação de conhecimentos e de capacidades, cuja matriz agora se conheceu, e que está marcada para o próximo dia 18 de dezembro, foi chumbada, hoje, dia 27 de novembro, pelo PSD e pelo CDS.
Este comportamento obstrutivo da discussão e aprofundamento desta matéria revela que não há capacidade de diálogo por parte destes grupos parlamentares, furtando-se assim ao necessário debate que deveria ser travado na assembleia da república.
O PS está contra a forma e o modo como o governo PSD/CDS regulamentou a  prova de avaliação de conhecimentos e competências e por isso combaterá esta prova de avaliação que é inútil para a melhoria do sistema educativo e na acrescenta à qualidade da docência.
Entende o PS que uma escola pública de qualidade  carece de  políticas educativas de investimento, nomeadamente,  na formação contínua de professores e na formação inicial. Contrariamente, a prática deste governo desconsidera os professores ao sujeitá-los a esta prova, alguns com mais de 30 anos de serviço, revogando normativos legais sem qualquer negociação com os parceiros.

Adelaide Modesto apresentou candidatura à concelhia de Viseu do PS

A convite de Adelaide Modesto, estive presente na apresentação pública da sua candidatura a presidente da comissão política concelhia de Viseu do Partido Socialista, que decorreu no salão nobre da associação comercial de Viseu, evento que contou igualmente com a presença dos meus colegas deputados do PS, José Junqueiro e Elza Pais.
Nesta sessão intervieram José Pedro Gomes e os mandatários da candidatura, Alberto Ascensão e Bernardo Simões, este para a juventude, e a finalizar, Adelaide Modesto efetuou uma intervenção em que agradeceu a presença de tod@s e apresentou as linhas programáticas da sua candidatura para a concelhia, para o mandato 2013-2017.


terça-feira, 26 de novembro de 2013

OE 2014: O PS VOTOU CONTRA


Foi aprovada, pela maioria do PSD/CDS, mais uma "bomba" que se vai abater sobre os portugueses em 2014. Uma "bomba" fiscal que vai arrasar toda e qualquer esperança de desenvolvimento e vai prosseguir a saga contra o estado social.
Os cortes são em toda a linha e contribuirão para que prossiga o aumento do número de multimilionários e o aumento da pobreza.
O PS votou contra e suscitará a inconstitucionalidade de muitas normas do OE para 2014 que agridem de uma forma brutal os reformados, pensionistas e os trabalhadores em geral. Isto é, atingirão de uma forma muito dura a economia e as famílias portuguesas.

Carlos Peninha e José Cardoso: "Duplo sentido" em Sátão

O grupo musical "DUPLO SENTIDO", formado pelo Carlos Peninha e pelo José Cardoso, deu um excelente concerto em Sátão na noite de 23 de novembro, no Krypton disco bar, em Sátão.
E se ambos tocam guitarra, e se ambos têm uma vasta formação musical, e se ambos são excelentes músicos de per si, não restam dúvidas de que esta dupla, de que este 'duplo sentido' é muito mais do que a soma das partes.
Um dupla que faz um bom complemento instrumental, um mais vocacionado para o acompanhamento, o outro mais para os solos, e na voz, podemos dizer que há a inversão virtuosa. Os dois, portanto, perfazem aquilo que se pode apelidar de um excelente e versátil grupo musical, talhados para terem sucesso.
Uma nota final: Enquanto o Carlos Peninha é de Viseu, o José Cardoso é do concelho de Sátão, mais concretamente das Pedrosas.
Parabéns.

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Prova de avaliação de conhecimentos e de capacidades: PS requereu a presença de Nuno Crato na Comissão de Educação

«Ex.mo Senhor,
Presidente da Comissão de Educação, Ciência e Cultura
Deputado Abel Baptista

O Ministro da Educação e Ciência, Nuno Crato, na sua deriva de combate à escola pública, que elegeu como bandeira para o seu mandato, em vez de investir em medidas que promovam a igualdade de oportunidades, continua apostado em criar ruídos, entropias e desconfianças sobre o sistema educativo.
As mais recentes peças desta sua linha política – que fazem tábua rasa de todos os normativos legais (D.L. 75/2010, revogado em parte) – prendem-se com a prova de avaliação de conhecimentos e de capacidades, através da publicação de um vasto conjunto de normativos legais que culminaram com a sua regulamentação, marcação de data e guia da prova.
Com efeito, as alterações perpetradas no Estatuto da Carreira dos Educadores de Infância e dos Professores dos Ensinos Básico e Secundário através do Decreto-Lei n.º 139-A/90, de 28 de abril e as alterações ao Decreto Regulamentar n.º 3/2008, de 21 de janeiro, que estabelece o regime da prova de avaliação de conhecimentos e capacidades, determinaram a efetivação da prova aos professores ainda no presente ano civil, assente num conjunto de requisitos e procedimentos de cariz pedagógico e profissional muito duvidosos.
Ora, o PS entende que esta prova nada acrescenta à qualificação do sistema educativo e é, portanto, uma completa inutilidade.
Entendemos que uma escola pública de qualidade carece, não destes "exames", mas de políticas educativas de investimento, nomeadamente na formação e avaliação contínua de professores e na formação inicial, contrariando a prática deste governo que parte do falso pressuposto de que os professores não têm qualidade.
Cada medida, cada opção, vai sempre no sentido de desequilibrar ainda mais o sistema educativo e de criar uma ideia de que a escola pública não funciona, não é rigorosa, não tem bons resultados, mesmo que os estudos internacionais tenham provado o contrário.
E o problema associado a esta questão é ainda outro e igualmente perigoso. É o da desconfiança quanto à qualidade formativa proporcionada pelas instituições de ensino superior, que efetuam a formação inicial, situação que mereceu um comunicado fortemente crítico por parte do Instituto Politécnico de Portalegre, que considera que "a introdução desta prova não surgiu, até à presente data, consubstanciada ou justificada em evidências, estudos ou pareceres que indicassem, de forma explícita, a necessidade de criação de um mecanismo de aferição da qualidade do processo formativo que é da responsabilidade das instituições de ensino superior".
Neste sentido, o Grupo Parlamentar do Partido Socialista vem requerer a V. Exa. a realização, com caracter de urgência, de uma audição ao Ministro da Educação e Ciência para prestar as explicações que se exigem.

Assembleia da República, 22 de novembro de 2013»

Sátão: Jantar convívio de homenagem a Francisco Carvalho

Francisco Carvalho e Maria Alice Carvalho
Francisco Carvalho o recém eleito presidente da câmara municipal de Penalva do Castelo foi homenageado com um jantar convívio promovido pelos seus colegas da autoridade tributária de Sátão (repartição de finanças), onde ele exercia as funções de chefe de finanças.
Foi um jantar que decorreu no dia 22 de novembro na quinta do Soito, nas Pedrosas, um excelente espaço de eventos, e que juntou um vasto conjunto de amigos que, para além dos colaboradores das finanças de Sátão, se estendeu a muitos outros funcionários, antigos colegas e dirigentes concelhios e distritais da autoridade tributária de que aqui destaco as presenças dos diretor distrital e diretor distrital adjunto de finanças de Viseu, respetivamente, João Cardina e Ramiro Figueiredo.
Igualmente se associaram a este evento muitos satenses amigos do Francisco Carvalho, a quem todos reconhecem muitos méritos, destacando aqui eu a sua nobreza de tratamento (simplicidade, respeito e humildade) com todas as pessoas independentemente da sua condição, quer enquanto chefe da repartição quer antes, como funcionário, quer como pessoa.
Lá estive e aqui deixo este meu testemunho, com votos das maiores felicidades pessoais e políticas para as funções, que agora iniciou, de presidente da câmara municipal de Penalva do Castelo.
Painel com fotografias marcantes da vida do Francisco Carvalho

domingo, 24 de novembro de 2013

Federação de Viseu do PS reuniu a comissão política distrital

Teve lugar no dia 22 de novembro uma reunião da comissão política distrital da federação de Viseu do PS que decorreu no solar dos Peixotos em Viseu.
Os temas que estiveram na agenda tiveram a ver com as eleições para as comissões políticas concelhias que terão lugar no dia 7 de dezembro e com a análise da situação política distrital e nacional.
As questões distritais centraram-se em torno das eleições para os órgãos da comunidade Viseu Dão Lafões que deram como resultado a eleição de José Morgado para presidente e Fernando Carneiro como vice-presidente do conselho da CIM, ambos do PS, tendo cabido a outra vice-presidência ao PSD, e de Acácio Pinto como presidente e Alberto Ascensão como secretário da mesa da assembleia intermunicipal, ambos do PS, sendo que nesta eleição a lista foi conjunta com o CDS/PP, que elegeu o vice-presidente da assembleia, José Rodrigues.
A nível nacional estiveram em cima da mesa as questões relacionadas com o OE 2014 e o profundo ataque ao estado social e aos trabalhadores que o mesmo encerra e daí o voto contra do PS no dia 26 de novembro que, igualmente, irá suscitar questões de constitucionalidade junto do TC caso não haja recuo por parte do governo e da maioria.

sábado, 23 de novembro de 2013

OE 2014 - PS apresentou proposta de inglês obrigatório no 1º ciclo em 2014/2015



PROPOSTA DE LEI N.º 178/XII/3ª
“ORÇAMENTO DO ESTADO PARA O ANO DE 2014”
PROPOSTA DE ADITAMENTO - PS
Exposição de Motivos
A relevância crescente do multilinguismo, em decorrência do acentuar do diálogo e cooperação internacional e em sintonia com a era da globalização em que nos encontramos, não deve ser descurada no contexto nacional, enquanto fator de cidadania e motor de cooperação.
O ensino de línguas, sendo um dos eixos prioritários da ação comum ao nível da União Europeia, teve importantes reflexos em Portugal que, num esforço de reconhecimento, valorização e promoção do ensino de línguas estrangeiras, generalizou a todo o 1.º ciclo o ensino do inglês.
Esta opção permitiu a generalização do ensino precoce de uma das línguas mais importantes na perspetiva social, profissional e económica, contribuindo para futuros cidadãos mais e melhor preparados no quadro da globalização.
O progresso verificado contrasta agora com a decisão do atual Governo que, num retrocesso sem precedentes e sob a prosaica frase de que competia às escolas a escolha das ofertas educativas, condicionou a oferta de inglês no 1º ciclo do ensino básico, cuja lecionação passa agora a ser facultativa.
Entretanto, face às críticas de que foi alvo, o Ministro da Educação afirmou que era seu propósito incluir o inglês como disciplina curricular obrigatória neste ciclo, tendo pedido a colaboração do Conselho Nacional de Educação na concretização desta alteração curricular.
Ao contrário do que aconteceu com a reforma curricular que, pese embora ter reflexos imediatos no percurso educativo dos alunos, não foi precedido de parecer do CNE, o Governo protela para o futuro uma concreta decisão sobre a inclusão da língua inglesa no currículo.
O Governo exime-se assim de qualificar na escola pública os seus alunos e de promover a igualdade de oportunidades, criando um fosso social entre aqueles que podem aprender a língua inglesa fora da escola e aquelas cujo agregado familiar não tem condições para esse investimento.
A escola representa para a grande maioria dos alunos o meio de acesso por excelência à aprendizagem das línguas e como tal deve constituir uma prioridade nas políticas educativas nacionais.
Através deste preceito legal, o Partido Socialista renova o seu compromisso de incluir o ensino do inglês no percurso educativo dos alunos, pugnando pela criação de condições que permitam, já no ano letivo 2014-2015, a inclusão desta língua estrangeira no currículo para o 1.º ciclo de ensino.
Artigo 162.º-A
Ensino obrigatório do inglês no 1.º ciclo do ensino básico
1. O Governo deve aprovar as alterações ao enquadramento legislativo e regulamentar da estrutura curricular do 1.º ciclo do ensino básico de forma a garantir a obrigatoriedade do ensino da língua inglesa para os alunos que iniciem o primeiro ciclo no ano letivo de 2014/2015.

2. A alteração legislativa e regulamentar prevista no número anterior deve ainda assegurar a gradual revisão curricular do ensino da língua inglesa nos demais ciclos de ensino, de forma a assegurar a plena integração e coerência curricular decorrentes do início da lecionação no primeiro ciclo do ensino básico.

Direção do grupo parlamentar do PS recebeu CRUP (conselho de reitores das universidades)

Reunião na AR do GPPS com o CRUP
LUSA 21.11.2013 - O PS acusou hoje o Governo de ter violado compromissos estabelecidos com as universidades e considerou existir um "risco grave" de recuo em termos de formação e capacidade de internacionalização das instituições de Ensino Superior.
Alberto Martins, líder da bancada socialista, falava aos jornalistas no final de uma reunião entre a direção do Grupo Parlamentar do PS e o Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP).
Depois de o presidente do CRUP, António Rendas, se ter recusado a prestar declarações aos jornalistas, o líder parlamentar do PS apresentou um quadro preocupante sobre a atual situação da generalidade das universidades portuguesas.
"As universidades estão numa situação extrema, de limiar de condições dignas em termos de funcionamento. Têm um reconhecimento internacional muito significativo, mas as condições criadas quanto à sua autonomia, em termos de contratação pública, contratação de docentes e de meios para o ensino e investigação são extremamente gravosas", apontou Alberto Martins, cuja bancada tem uma proposta de alteração ao Orçamento do Estado para 2014 para eliminar os cortes propostos pelo Governo em relação às universidades e politécnicos.
O presidente do Grupo Parlamentar afirmou depois estranhar a atuação do Governo em matéria de Ensino Superior, "porque as universidades são o centro fundamental para o desenvolvimento da economia e para novos projetos de afirmação e internacionalização de Portugal".
De acordo com Alberto Martins, o CRUP comunicou ao PS "a existência de riscos graves de as universidades portuguesas terem grandes recuos em termos de ensino, formação, investigação e capacidade para manter os níveis alcançados nos 'rankings' internacionais".
"Os cortes que estão a ser feitos violam os compromissos e contratos programas estabelecidos com as universidades portuguesas. O CRUP considera que as condições de vida digna e eficaz são muito preocupantes. O PS está apreensivo, porque está em causa a formação dos portugueses e a abertura da universidade a setores mais amplos da sociedade portuguesa", sustentou Alberto Martins.
Neste contexto, o líder da bancada socialista recusou a perspetiva de "uma universidade elitista", defendendo em contraponto "uma universidade alargada, de qualidade, com capacidade para contratar os mais qualificados ao nível da difusão do saber".
"Isso está em causa, assim como a própria internacionalização das universidades portuguesas. O Governo fala muito na internacionalização da economia, dos centros de excelência, na capacidade científica, na inovação e na capacidade tecnológica, mas isto está sedeado nas universidades. As universidades são o motor desse desenvolvimento", acrescentou.
PMF // SMA

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Satenses de visita à Assembleia da República

Foi com prazer que no dia 20 de novembro recebi na Assembleia da República os amigos Júlio Carvalho, José Luís Carvalho, Victor Carvalho e Adélia Carvalho, todos eles com ligações ao Sátão, mais concretamente a Rio de Moinhos.
Estes quatro amigos quiseram conhecer mais em pormenor o Palácio de São Bento e a atividade dos deputados.
Durante a visita e a conversa estivemos igualmente com o deputado do PS, José Junqueiro, e passámos pela biblioteca, passos perdidos, plenário, salão nobre, varanda principal, sala do senado, escadaria central, claustros e refeitório dos frades.
É para mim sempre um grato prazer receber a visita de cidadãos, principalmente, com raízes no meu meu círculo eleitoral.
Fica um breve registo fotográfico.
Obrigado.

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Jornal i | 21 novembro | O "EXAME" DOS VINTE EUROS

Nuno Crato, na sua obsessão de combate à escola pública, em vez de investir em medidas que promovam a igualdade de oportunidades, continua apostado em criar ruídos, entropias e desconfianças sobre o sistema educativo.
A mais recente foi a regulamentação da prova de avaliação de conhecimentos e capacidades, dos professores contratados, que é uma verdadeira peça, das muitas, que desconsideram e humilham, mesmo, os docentes.
Mas, sobretudo e em primeiro lugar, esta prova tal qual está e nos moldes em que é feita, é uma completa inutilidade. Não traz qualidade e não acrescenta nada ao sistema educativo que tão carente está de serenidade e de paz legislativa. Cada medida, cada opção, vai sempre no sentido de o desequilibrar ainda mais e de criar uma ideia de que a escola pública não funciona, não é rigorosa, não tem bons resultados, mesmo que os estudos internacionais tenham provado o contrário.
Estamos, pois, contra a forma e o modo como o governo PSD/CDS regulamentou esta  prova de avaliação de conhecimentos e competências, fazendo-se tábua rasa de avanços anteriores consagrados em normativos legais. Entendemos que uma escola pública de qualidade  carece, não destes “exames” mas de  políticas educativas de investimento, nomeadamente,  na formação contínua de professores e na formação inicial, contrariando a prática deste governo que parte do falso pressuposto de que os professores não têm qualidade.
E o problema associado a esta questão é ainda outro e igualmente muito perigoso. É o da desconfiança na qualidade formativa proporcionada pelas instituições de ensino superior, que efetuam a formação inicial, situação que mereceu um comunicado fortemente crítico por parte do Instituto Politécnico de Portalegre que considera que “a introdução desta prova não surgiu, até à presente data, consubstanciada ou justificada em evidências, estudos ou pareceres que indicassem, de forma explícita, a necessidade de criação de um mecanismo de aferição da qualidade do processo formativo que é da responsabilidade das Instituições de Ensino Superior”.
Podemos dizer que estamos conversados sobre a natureza desta prova e também sobre os seus danos na credibilidade das instituições.
Para terminar uma palavra sobre as taxas a pagar para a realização das provas, que Nuno Crato disse serem reduzidas. Elas, vinte euros só para a inscrição, fora o resto, são uma completa falta de pudor e uma gula inadmissível de receitas, quando estamos ante professores desempregados e com trabalho precário. Será que é para pagar o aumento dos gastos em 1,6 % com os gabinetes do ministro e dos secretários de estado da educação em 2014?
A preocupação com a qualidade docente não deve passar pela prova, mas deve passar, sobretudo, por um debate que envolva todos, nomeadamente, as instituições de ensino superior, as associações científicas, pedagógicas e sindicais.
Acácio Pinto
Deputado do PS

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Mafalda Almeida é a nova coordenadora da JS Sátão

A JS de Sátão realizou no dia 9 de novembro eleições para a seção concelhia para o mandato 2013-2015.
Desse ato eleitoreal resultou que Mafalda Almeida será a nova coordenadora concelhia da JS, substituindo naquelas funções Ricardo Joel Santos.
Eis a constituição de todos os órgãos:
Secretariado da Concelhia
Mafalda Almeida (coordenadora) – Mioma
Ricardo Almeida – Ferreira de Aves
Sofia Ribeiro – Sátão
Marco Almeida – Sátão
Tânia Almeida - Mioma
Flávia Félix – Rio de Moinhos
Ricardo Sousa – São Miguel de Vila Boa
Mesa da assembleia geral
Luis Saraiva (presidente) - Mioma
1º Secretário – Rodrigo Duarte da Costa Magalhães – Ferreira de Aves
2ª Secretária – Tásia Santos– Sátão
Representante da JS na CPC do PS
Ricardo Joel Santos – Ferreira de Aves
André Rebelo – Sátão
Daniela Pina Ferreira – Sátão
Bruno Pereira – Sátão
Votos de um bom mandato.

Presidente da câmara de Vila Nova de Paiva, José Morgado, foi eleito presidente da CIM Viseu Dão Lafões


José Morgado, presidente da câmara municipal de Vila Nova de Paiva, foi eleito, por unanimidade, depois de um longo impasse, como presidente do conselho intermunicipal, na comunidade intermunicipal Viseu Dão Lafões.
O presidente de Vila Nova de Paiva, eleito pelo PS, vai ter como vice-presidentes José António Jesus, presidente de Tondela, eleito pelo PSD e Fernando Carneiro, presidente de castro Daire, eleito pelo PS.
José Morgado, que vai presidir nos próximos quatro anos ao conselho intermunicipal desta comunidade integrada por catorze municípios da região, está a cumprir o segundo mandato na autarquia de Vila Nova de Paiva após ter ganho, com maioria absoluta, as eleições para a respetiva câmara municipal.
Parabéns e votos de um bom trabalho.

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Acácio Pinto: eleito presidente da assembleia intermunicipal VISEU DÃO LAFÕES

Teve lugar no dia 18 de novembro no solar dos Peixotos, em Viseu, a posse dos cinquenta elementos da assembleia intermunicipal “Viseu Dão-Lafões”, a que se seguiu a eleição da respetiva mesa.
A sufrágio apresentaram-se duas listas, uma apoiada pelo PS e pelo CDS/PP, encabeçada por Acácio Pinto, e outra apoiada pelo PSD, encabeçada por João Cotta.
Saiu vencedora, por 26 contra 24 votos, a lista liderada pelo deputado municipal de Sátão, Acácio Pinto, pelo PS, que assim será o novo presidente da assembleia intermunicipal, representativa dos catorze concelhos que integram a região, a saber, Aguiar da Beira, Sátão, Vila Nova de Paiva, Penalva do Castelo, Mangualde, Nelas, Viseu, Carregal do Sal, Santa Comba Dão, Tondela, Oliveira de Frades, Vouzela, São Pedro do Sul e Castro Daire. Como vice-presidente da assembleia intermunicipal foi eleito José Rodrigues, do CDS/PP, deputado municipal de Vila Nova de Paiva, e como secretário foi eleito Alberto Ascensão, do PS, deputado municipal de Viseu.
(Texto: Gazeta de Sátão | foto: Joaquim Santos)

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Dia grande para Samorim - Sátão

O dia 17 de novembro vai ficar assinalado como um dia marcante para a aldeia de Samorim, da freguesia e concelho de Sátão.
Tratou-se de, em dois atos consecutivos, inaugurar a sala mortuária, localizada no adro da capela, e, de seguida, assinar o contrato da empreitada de construção, no montante de 233.807,26 euros, da estrutura do futuro lar de Samorim, uma unidade de doze quartos, com capacidade para vinte e quatro idosos, obra que irá ser executada pela empresa "Pelezinhos".
O povo de Samorim acorreu em peso a este evento e, das entidades, destaca-se a presença do presidente da câmara, Alexandre Vaz, do presidente da junta, António José Carvalho, e de outros autarcas da freguesia e da assembleia municipal, bem como do padre José Cardoso, pároco da paróquia de Sátão.
Enquanto a sala mortuária resultou de uma iniciativa de uma comissão, com apoios diversos, o lar é resultado de uma iniciativa da Casa do Povo de Sátão, a cuja direção preside Armando Cunha, mas que tem como sua principal benemérita Eduarda Rodrigues (a dona Eduarda), pois, para além de ter cedido o terreno onde as obras já estão a decorrer, fez, durante esta cerimónia, mais uma dádiva de 90.000 euros.
O presidente da câmara disse que o apoio do município para este tipo de equipamentos tem sido de 75.000 euros, pelo que seria essa a base a atribuir, para além de colaboração municipal diversa na movimentação de terras e nas infraestruturas.

domingo, 17 de novembro de 2013

Os momentos são mais sublimes com os amigos por perto!

Costuma dizer-se que não há amizades perfeitas... Afinal, o homem é um ser imperfeito!
Mas com todas as imperfeições há amizades fundas e fortes!
E, sem dúvida, há momentos que são mais sublimes com os amigos por perto!
No caso, um momento de descontração, na esplanada do restaurante Cota Máxima, na margem direita do rio Dão, em Santa Comba Dão, com o Leonel Gouveia, presidente da câmara de Santa Comba Dão, e com o Carlos Cardoso, num destes dias de verão de são Martinho...

sábado, 16 de novembro de 2013

Carlos Clara Gomes lançou novo livro | MONTEMURO


Teve lugar no dia 15 de novembro, na galeria de arte G, em Viseu, o lançamento do último livro, um romance, de Carlos Clara Gomes, numa edição das Edições Esgotadas e que, na ilustração da capa, conta com a colaboração de Wilfred Hildonen.
Teresa Adão da editora efetuou o enquadramento do evento e Martim Sousa deixou aos muitos presentes a sua leitura, uma perspetiva da obra.
No final o autor brindou a plateia com um magnífico texto, cheio de metáforas e de provocações, mas sobretudo cheio de afetos.
Sobre este livro Martim Sousa diz no prefácio: «[…] Este Montemuro de Carlos Clara Gomes persegue em vinte e nove capítulos a ideologia de um programa que se enuncia no paratexto inicial sob o lema da dignidade para se disseminar em fulgurante peregrinação por lugares e ambientes onde a condição humana é posta à prova. […] Tenso, evocador, multiforme, o romance obriga-nos a suturas distanciadas. […] Recolhendo a disseminação, este Montemuro é uma história de família que arrasta, na sua profundeza, um mordente ritual quotidiano que a todos integra. Rude até, o romance semeia quadros de rutura e morte, desvela os fumos trágicos e os desmandos sob o império colonial, aprofunda-se na corrente de consciência e na usura do tempo, percorre proibições e interditos, indagando credos e vocações, desígnios e vontades. […] Afinal, Montemuro somos nós cavando na interioridade, desvelando os espessos labirintos da condição humana na longa viagem da eternidade […].»
Parabéns.