sexta-feira, 31 de agosto de 2012

[opinião] Nuno Crato: o "educador" sem perdão

Foto: RTP

Naquele tempo Nuno Crato era, para muitos, o homem predestinado para levar a cabo a verdadeira revolução na educação, ou no “eduquês” como muitos diziam.
Ele era o homem que orava sapientemente e com rigor sobre o sistema. Ele era o comentador de serviço para bater nas políticas educativas de então. E ainda por cima era cientista, matemático, ou seja, sabia do que falava!
Até falava em implodir o ministério da educação para que não restassem dúvidas do lado em que ele se colocava.
E tanto assim foi que teve quase um ano em “estado de graça”. Não se ouviam, muito, os professores, as estruturas sindicais nos primeiros meses desligaram os megafones, os pais, praticamente, não falaram, embora fossem os menos silenciosos.
Prometeu uma avaliação “nova” para os docentes, percebe-se agora que a verdadeira novidade foi a transformação de uns quantos docentes em avaliadores pagos “à peça”, ou em “novos titulares”.
Prometeu uma reforma curricular e fez uma mera alteração de cargas horárias e a supressão de importantes disciplinas no âmbito da cidadania e do saber fazer, bem como um grande retrocesso nas ciências experimentais.
Encheu a boca com a qualidade e com o rigor e o que se conheceu foi o aumento do número de alunos por turma e a “vulgarização” dos exames aos alunos no final do 4º ano sem nenhuma mais-valia pedagógica evidente.
Mexeu na avaliação dos alunos com necessidades educativas e no recorrente e o que se sabe é que os pais e os alunos ganharam os processos judiciais que moveram contra o ministério da educação.
Produziu decretos na sequência das suas reformas cujo resultado assumiu contornos de uma gravidade absoluta e de um desrespeito total para com milhares de professores atirados para horários zero.
Apoucou as novas oportunidades acabando com um programa que certificou centenas de milhar de portugueses e o resultado foi atirar para o desemprego milhares de formadores e lançar para o vazio dezenas de milhar de seus concidadãos.
Prometeu muito mais autonomia para as escolas só que, afinal, transformou os diretores em gestores de horários ao minuto e preenchedores de plataformas informáticas!...
… ah, e até parece que agora inventou o ensino profissional e tudo o mais que está para vir!
Enfim, um “educador” sem perdão, como é reconhecido, praticamente, por todos, nos últimos tempos!
Acácio Pinto

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Deputada Elza Pais observadora das eleições em Angola

A deputada do PS eleita pelo círculo eleitoral de Viseu, Elza Pais, estará em Angola integrando, por parte da Assembleia da República, a delegação portuguesa que vai observar as eleições gerais que irão decorrer naquele país africano, neste final de agosto.
Elza Pais, para além do seu trabalho como presidente da sub-comissão para a igualdade e relatora para a ciência na Comissão de Educação, integra também a Comissão Parlamentar da CPLP e daí a sua posição privilegiada para um bom desempenho destas funções.
Este é mais um sinal, evidente, do mérito e do excelente trabalho parlamentar que Elza Pais tem vindo a desempenhar na Assembleia da República e que muito orgulha o PS e o círculo eleitoral de Viseu, ela que, como se sabe, é natural de Mangualde, onde integra os órgãos concelhios do Partido Socialista.
Parabéns e votos de um excelente trabalho.

Deputados do PS em Santa Comba Dão

Por iniciativa da comissão política concelhia do PS de Santa Comba Dão, presidida por João Tomás, os deputados do PS, José Junqueiro e Acácio Pinto, deslocaram-se no dia 28 de agosto ao concelho a fim de se inteirarem de alguns dos muitos problemas com que se debatem os santacombadenses em resultado de uma completa falta de estratégia e de rumo por parte da câmara municipal.
Nesta visita os deputados foram acompanhados pelos vereadores, por membros da assembleia municipal, presidentes de junta e elementos da JS,  entre outros.
No trajeto efetuado, que se iniciou junto ao edifício da câmara municipal, constatou-se o desleixo a que está votada a ribeira das hortas, desde o centro urbano até à foz, espaço que poderia estruturar um projeto ambiental e de ciência em torno dos moinhos, da energia e do lazer e cujas águas deveriam merecer toda a atenção contra qualquer forma de poluição.
Igualmente se viu o abandono a que a autarquia votou os acessos à ecopista do Dão (Santa Comba, Tondela, Viseu), uma infraestrutura que merecia um outro olhar e atenção por parte do município e sobretudo uma verdadeira acessibilidade para os utentes. Quem quiser fazer o trajeto a partir do início tem que vencer um labirinto, por exemplo a partir da estação de comboio, em terra batida até encontrar o betuminoso azul.
Percebeu-se, também, a completa falta de opção por uma marginal condigna a partir de Santa Comba, com uma variante, ao Granjal, cujas águas termais, que poderiam tornar-se num pólo de desenvolvimento diferenciador, foram abandonadas pelo atual poder municipal.
Santa Comba Dão foi, pois, transformado, nestes últimos anos, num concelho sem ambição. Precisa de uma nova esperança que o faça reganhar a vitalidade e a alma perdidas. O PS de Santa Comba Dão está atento, tem ideias, tem protagonistas qualificados, como é o caso, por exemplo, de Leonel Gouveia e irá desenvolver um programa e uma candidatura aberta às pessoas com a finalidade de devolver ao concelho e aos santacombadenses a esperança de viverem, novamente, num território com dinamismo económico e com qualidade de vida.

domingo, 26 de agosto de 2012

Montemuro - Aregos - Resende, com o Douro em permanência

As origens das águas termais das Caldas de Aregos perdem-se nos séculos, havendo registos desde o início da nacionalidade.
Situadas no concelho de Resende, com o Douro aos pés, as águas sulfurosas que brotam do subsolo podem atingir os 62 º de temperatura e estão associadas à falha geológica Verin-Régua-Penacova, falha também responsável por muitas outras termas, de que são exemplo Chaves, Moledo, Carvalhal, S.P.Sul, Alcafache, Sangemil, Felgueira, Cavaca...
Aconselho, pois, descer calmamente o Montemuro, por S. Cipriano e Freigil, até Aregos. No alto desfrutar os vários tons de azul das paisagens mais longínquas e na descida apreciar os múltiplos verdes das íngremes encostas ali bem ao lado.
Depois, uma passagem pelo ginásio, incursão nas piscinas do balneário termal e um banho turco a finalizar.
O repouso pode ser feito na esplanada do cais de Aregos, saborear o Douro sereno, olhar o comboio na outra margem e ver a atividade permanente dos barcos com turistas a bordo, que se queriam mais libertos dos estreitos corredores que as agências de viagens lhes destinam.
O regresso pode ser por Resende, onde se podem comprar as famosas cavacas, num dos vários fabricantes artesanais, percorrer as imediações da Câmara, visitar o parque urbano, levantar os olhos e perceber o papel permanente do rio Douro e ir ao museu municipal que resultou do aproveitamento da antiga cadeia de Resende.
A subida da serra, agora, pode ser por Felgueiras, onde se situa a empresa de águas S. Cristóvão e uma última paragem tem que ocorrer no miradoiro da capela de S. Cristóvão novamente no alto da serra do Montemuro. Um último olhar ao Douro, aos vales bem encaixados que o alimentam, às serras do Marão, das Meadas, de Santa Helena e da Nave e... fim de viagem.
Restaurantes e hotéis, ou turismos de habitação ou rural, não faltam, para quem quiser ficar mais do que um dia.
Links úteis:

sábado, 25 de agosto de 2012

Penalva do Castelo: XI Prova técnica de vinhos do Dão

Decorreu no dia 25 de agosto, em Penalva do Castelo, a XI Prova técnica de vinhos do Dão, este ano tendo como anfitriã a Quinta do Serrado.
Presentes neste certame estiveram os seguintes produtores do concelho: FTP vinhos, da quinta do Serrado; Adega Cooperativa de Penalva do Castelo; Casa da Ínsua; Adega da Corga; Quinta da Vegia.
A presidir a esta iniciativa esteve o Secretário de Estado das Comunidades, José Cesário e presentes, entre outros, estiveram o vice-presidente da câmara, Carlos Ferreira, e vereadores, deputados do PS, PSD e CDS, dirigentes dos serviços descentralizados do estado, os produtores e seus enólogos, muitos penalvenses e muitas pessoas dos concelhos limítrofes, apreciadoras do vinho do Dão. De referir ainda a presença de um penalvense da comunidade de Cumberland (USA).
Do PS estiveram presentes o deputado à Assembleia da República, Acácio Pinto, os vereadores Francisco Carvalho e Vitor Fernandes e muitos outros autarcas das freguesias do concelho e da assembleia municipal.