quinta-feira, 30 de setembro de 2010

(Opinião) Fazer o trabalho de casa

1. Medidas políticas - O Governo, de forma corajosa, apresentou quarta-feira, aquelas que serão, as principais medidas políticas para combater a crise e equilibrar as contas públicas. Medidas difíceis, muito difíceis para os portugueses, mas uma forte resposta, à fúria e ganância voraz dos “donos” do dinheiro, para evitar males maiores! Vamos agora ficar à espera do comportamento de Passos Coelho, ele que dizia que se fossem aumentados os impostos votaria contra o orçamento!
2. Pergunta sobre as obras no IP 3 - Os deputados do PS entregaram na Assembleia da República, no dia 24 de Setembro, uma pergunta dirigida ao Ministro das Obras Públicas relacionada com as obras que estão a ser levadas a cabo num pilar de uma ponte sobre a Albufeira da Aguieira (Santa Comba Dão e Mortágua) e que obriga ao desvio do trânsito de pesados e à circulação condicionada para os restantes veículos.
Compreendendo a urgente necessidade de tal intervenção os deputados do PS não podem, porém, deixar de manifestar a sua preocupação face aos transtornos de ordem económica que tais obras acarretam e pretendem perceber o tempo durante o qual tais obras se vão desenvolver para que as empresas e os utentes em geral possam planear da melhor forma as suas actividades.
Assim os deputados do PS questionaram qual o prazo para esta intervenção, se há mais obras previstas para outras pontes do IP3 e qual o montante envolvido nestas obras.
3. Visita a Santa Comba Dão – No dia 27 de Setembro os deputados do PS deslocaram-se ao Lar de S. João de Areias, acompanhados pelos vereadores do PS na Câmara de Santa Comba Dão em mais uma das visitas que têm vindo a desenvolver em todo o Distrito de forma a contactarem com as realidades locais e as poderem interpretar da melhor forma.
Recebidos pelos membros da Direcção, os Deputados do PS inteiraram-se do funcionamento desta instituição que tem excelentes instalações, inauguradas em 2005, e puderam, igualmente perceber os anseios e projectos dos seus dirigentes para o futuro, nomeadamente Unidade de Vida Protegida, que irão carecer de um diálogo e de uma análise por parte da Segurança Social de Viseu com quem irão dialogar, tendo-se, os deputados comprometido a acompanhar em proximidade estas expectativas.
Ficámos igualmente a perceber que a relação entre o Governo e as IPSS’s não é de desconfiança, como disse Passos Coelho na sua recente passagem por Viseu, mas sim uma relação de confiança e de solidariedade.
Aliás nesta instituição em concreto, mas também em tantas outras, foi o anterior Governo do PS que, em 2005, veio desbloquear o pagamento de verbas que o Governo do PSD/CDS não pagava há anos e estava a colocar as instituições e os seus dirigentes, solidariamente, em ruptura financeira.
Os deputados do PS perceberam, também que todos os pagamentos, resultantes dos acordos de funcionamento, que aumentaram 10 Milhões de Euros no Distrito entre 2005 e 2009, passando de 37,5 Milhões para 47 Milhões de Euros, estão a ser pagos com regularidade o que também nos apraz registar.
Se Passos Coelho fizesse os trabalhos de casa e pensasse mais por si não cometeria tantos erros!

(Opinião) Os conselhos de alguns "coveiros"

Antes de ir a Belém, Passos Coelho quis ouvir um conjunto de economistas para se aconselhar. Para lhe dizerem qual o rumo que o país devia tomar.
E alguns falaram à saída desse encontro dizendo que “não é democrático o Governo fazer chantagem”, dispararam contra o relatório da OCDE, que a economia não aguenta mais impostos, que... que…
Afinal estava ali a solução para todos os problemas. Estava ali a tese acabada para a resolução da crise, como se alguém os pudesse levar a sério.
Não pretendo entrar em populismos, nem contestar a sua profunda argumentação técnica, mas gostaria, por exemplo, que todos aqueles que ali se deslocaram, por uma questão de transparência, tivessem dito aos portugueses a quanto ascendem as múltiplas reformas douradas que Portugal lhes paga.
Não dará para desconfiar das teorias de muitos destes economistas que quando no poder, quando Ministros, afinal, o que fizeram foi serem os co-autores desta crise? Os tais que não conseguiram tomar as medidas que agora “sabem” que os outros devem tomar?
Já todos sabemos o que pretende Passos Coelho e o PSD: ser “coveiro” do Estado Social, do Serviço Nacional de Saúde e da Escola Pública.

Comissão Política Nacional do PS

Ontem, dia 29 de Setembro, à noite, participei na reunião da Comissão Política Nacional do PS que decorreu no Largo do Rato e que foi alargada ao Grupo Parlamentar.
Em cima da mesa as questões políticas da actualidade nomeadamente as medidas políticas tomadas pelo Governo para responder, no nosso país, às consequências da crise económica internacional e o Orçamento de Estado para 2011 e que exigem de todos uma grande responsabilidade.
É nestes momentos que os líderes nos dizem da sua fibra. Aí está mais uma vez a fibra e a coragem de José Sócrates.

(Opinião) Passos desconhece apoio às IPSS's

Os deputados do PS visitaram esta semana uma IPSS de Santa Comba Dão (Lar de S. José, em S. João de Areias).
E se dúvidas houvesse mais uma vez ficou claro que a relação entre o Governo, através da Segurança Social, e esta IPSS não é de desconfiança, como havia sido dito por Pedro Passos Coelho na sua recente deslocação ao Distrito de Viseu, mas sim uma relação solidária e de confiança.
Aliás, e neste caso concreto até percebemos que foi o anterior Governo do PS que resolveu uma dívida que tinha transitado do Governo PSD/CDS e que estava, em 2005, a colocar aquela instituição e os seus dirigentes numa situação de pré-ruptura.
Só a título de exemplo e para se perceber que Passos Coelho não conhece a realidade do apoio do Governo às IPSS’s convém lembrar aqui o Programa PARES que alargou a rede de Lares, de Creches e de Centros de Dia de uma forma nunca antes vista e que a criação das Unidades de Cuidados Continuados, já com 300 camas em todo o Distrito, veio permitir a resolução de um problema antigo com que se confrontava o sector da saúde e da segurança social.
Enfim, um desconhecimento que imaginávamos não fosse possível a um líder do PSD e que se assume como candidato a primeiro-ministro.
NOTA: O Deputado do PS, Paulo Barradas, de uma forma autêntica, genuína e que corresponde à sua interpretação da função de deputado – interagir com os eleitores – abriu em Lamego um escritório, que paga do seu bolso, para poder receber todos aqueles que lhe queiram colocar as suas questões e apresentar os seus pontos de vista. Pela minha parte acho profundamente incorrecta a campanha que lhe estão a mover, alguns de forma anónima, tentando ridicularizar uma atitude que, afinal, o enobrece.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

APAVT comemorou o seu 60º aniversário

 Participei ontem, como deputado do Grupo de Turismo da Assembleia da República, no 60º aniversário da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo que decorreu no Casino Estoril.
Do PS estiveram ainda presentes os deputados Hortense Martins, coordenadora do Grupo de Turismo, Manuel Seabra e Vera Jardim, este na sua qualidade de Provedor do Cliente das Agências de Viagens.
Em nome da Direcção interveio o Presidente da APAVT João Passos que historiou estes 60 anos de vida da Associação e falou sobre os desafios que se colocam ao sector.

Promoção dos Bordados de Tibaldinho vai subir a Plenário

Ontem, dia 28 de Setembro, na Comissão de Economia, da qual faço parte, foi aprovado o parecer que permite que o Projecto Lei 358/XI/1ª/PSD suba a Plenário (promoção e valorização dos bordados de Tibaldinho). Este parecer foi elaborado pelo deputado do PCP Agostinho Lopes, depois de ter ouvido o Presidente da Câmara Municipal de Mangualde, Vereador da Cultura e Presidente da Junta de Alcafache.
Em representação do PS intervim para dizer que estes patrimónios e estas actividades de natureza artesanal que dão memória e singularizam os espaços e os territórios e ainda podem ser supletivos economicamente para as pessoas, como é o caso dos Bordados de Tibaldinho, terão sempre um olhar atento e cuidado e o apoio por parte do PS, como também têm tido por parte das autarquias locais, Câmara de Mangualde e Junta de Alcafache.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Visita dos Deputados do PS ao Lar de S. João de Areias (S.C.Dão)

Os deputados do PS eleitos pelo Círculo Eleitoral de Viseu, Acácio Pinto, José Rui Cruz, Paulo Barradas e Helena Rebelo, deslocaram-se no dia 27 de Setembro ao Lar de S. José, em S. João de Areias no concelho de Santa Comba Dão, acompanhados pelos vereadores do PS na Câmara Municipal de Santa Comba Dão.
Recebidos pelos membros da Direcção, os Deputados do PS inteiraram-se do funcionamento desta instituição que tem excelentes instalações, inauguradas em 2005, e puderam, igualmente perceber os anseios e projectos dos seus dirigentes para o futuro, nomeadamente Unidade de Vida Protegida, que irão carecer de um diálogo e de uma análise por parte da Segurança Social de Viseu com quem irão dialogar, tendo-se, os deputados comprometido a acompanhar em proximidade estas expectativas.
Ficámos igualmente a perceber que a relação entre o Governo e as IPSS’s não é de desconfiança, como disse Passos Coelho na sua recente passagem por Viseu, mas sim uma relação de confiança e de solidariedade.
Aliás nesta instituição em concreto, mas também em tantas outras, foi o anterior Governo do PS que, em 2005, veio desbloquear o pagamento de verbas que o Governo do PSD/CDS não pagava há anos e estava a colocar as instituições e os seus dirigentes, solidariamente, em ruptura financeira.
Os deputados do PS perceberam, também que todos os pagamentos, resultantes dos acordos de funcionamento, que aumentaram 10 Milhões de Euros no Distrito entre 2005 e 2009, passando de 37,5 Milhões para 47 Milhões de Euros, estão a ser pagos com regularidade o que também nos apraz registar.
Uma nota final para salientar o facto de a instituição estar a envolver a comunidade para ajudar, nestes tempos mais difíceis, em que temos que ser verdadeiramente solidários e mais criativos, estando a ter retorno, nomeadamente, a nível de produtos agrícolas.
Para aqueles que ainda possam ter dúvidas na defesa do Estado Social seria bom que efectuassem visitas a instituições de solidariedade social e percebessem como este vector é fundamental para uma vida digna de todos os elementos da sociedade e não só de alguns.
Nota: A reunião com o Presidente da Câmara de Santa Comba Dão foi por este desmarcada por motivos imponderáveis de agenda.

domingo, 26 de setembro de 2010

Festa do PS de Santa Comba Dão

Hoje à tarde a Secção do PS de Santa Comba Dão levou a cabo a sua rentrée política que contou com a presença de várias centenas de militantes e simpatizantes.
De destacar a presença, para além do Presidente da Concelhia, Leonel Gouveia, e dos dirigentes e autarcas locais do PS, do Presidente da Federação de Viseu, José Junqueiro, dos deputados Acácio Pinto e José Rui Cruz, Miguel Ginestal da Federação de Viseu, da Presidente da Mulheres Socialistas, Fátima Ferreira e de elementos de várias concelhias do PS da região, com destaque para Tondela, Nelas e Mangualde.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Reunião no Ministério da Educação sobre Escola Grão Vasco de Viseu

Ontem, dia 23 de Setembro, participei numa reunião que ocorreu no Ministério da Educação em que intervieram os Secretários de Estado da Educação, João Mata, e da Administração Local, José Junqueiro, a Directora e o Subdirector do Agrupamento de Escolas Grão Vasco, respectivamente Inês Campos e Carlos Melo. Na agenda a Escola Grão Vasco e os seus 40 anos.
Reunião que permitiu abrir oportunidades de soluções concretas para problemas reais.

Pergunta dos deputados do PS sobre obras no IP3

Os deputados do PS eleitos pelo Círculo eleitoral de Viseu, Acácio Pinto, José Rui Cruz, Paulo Barradas e Helena Rebelo, apreentaram hoje, na Assembleia da República a seguinte questão, dirigida ao Ministro das Obras Públicas:
«O IP3 está a ser alvo de uma acção de manutenção, para reparação de um pilar da ponte sobre a Albufeira da Aguieira, situada a sul de Santa Comba Dão. O trânsito não pode circular acima dos 50 quilómetros por hora, estando proibido a veículos pesados com peso bruto igual ou superior a 3,5 toneladas.
O condicionamento do trânsito no IP3, cria, naturalmente, constrangimentos, em particular às empresas cujos veículos pesados são obrigados a circular por vias alternativas.
Às repercussões económicas que não são despicientes, acresce ainda o aumento da perigosidade para os utilizadores da via alternativa e áreas contíguas, que vêem o tráfego bastante aumentado, não possuindo estas, as condições de segurança necessárias para um trânsito desta natureza.
Conscientes da necessidade destas obras de reparação e da sua indispensabilidade, os transtornos que elas causam numa estrada de intenso tráfego exigem a celeridade possível, numa obra desta natureza. Os deputados signatários, vêm, através de Vª Exª Senhor Presidente da Assembleia da República, questionar o Senhor Ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, sobre o seguinte:
1. Para quando se prevê o fim das referidas obras?
2. Está prevista alguma intervenção para outras obras de arte no referido IP-3, nomeadamente entre Santa Comba Dão e Coimbra?
3. Quais os custos das intervenções previstas?»
(Foto: aeiou.expresso.pt)

(Opinião) Os labirintos de Passos e deste PSD

1. Marcelo Rebelo de Sousa apelidou de “marmelada jurídico-constitucional” a proposta de revisão constitucional de Passos Coelho e do PSD para área laboral: “razão legalmente atendível” para despedir.
Também Bacelar Gouveia, deputado do PSD e constitucionalista, bateu com a porta e demitiu-se da equipa que coordenou o projecto de revisão do PSD por discordâncias perante a metodologia e resultado da proposta que veio a dar entrada na Assembleia da República.
Mas o verdadeiro problema não está nem nas expressões nem nas demissões, o problema está no conteúdo e nos aleijões das propostas liberalizantes que Pedro Passos Coelho quer introduzir na Lei Fundamental. E nem os disfarces e maquilhagens de última hora mudaram a génese e o alcance daquilo que Pedro Passos Coelho e este PSD pretendem: ataques gratuitos aos mais carenciados e, afinal, a toda a classe média, com as propostas contra o SNS, Escola Pública, Emprego e Segurança Social.
2. Na sua recente deslocação a Viseu, Pedro Passos Coelho, referiu-se à relação do Governo com as IPSS’s como sendo de desconfiança e disse ainda que “para voltar a pôr tudo no direito, talvez seja preciso pôr quem tem boas ideias a governar e quem revela tanta inacção, se calhar, a fazer os trabalhos de casa que já não faz há muitos anos”.
Estas afirmações revelam um total desconhecimento da realidade distrital e da relação de confiança que este Governo e o anterior têm vindo a desenvolver com as Instituições Particulares de Solidariedade Social.
Será que Pedro Passos Coelho sabe que, por exemplo, no Distrito de Viseu temos trezentas camas na rede de Cuidados Continuados, quando em 2005 tínhamos zero e que há mais duzentas em construção?
Será que Pedro Passos Coelho sabe que temos, em curso e concluído, investimento público de mais de 27 Milhões de Euros em equipamentos sociais (lares, creches, centros de dia, serviços de apoio domiciliário)?
Será que Pedro Passos Coelho sabe que em 2009 a despesa com a cooperação de apoio financeiro às instituições foi de 47 milhões de euros quando em 2005 tinha sido de 37,5 milhões de Euros?
Para quem quer assumir o comando do país revela um grande desconhecimento da realidade concreta e portanto se quer “pôr tudo no direito” tem que continuar, ele sim, “a fazer os trabalhos de casa” pois ainda não acertou as contas nem leu os relatórios.
Permito-me parafraseá-lo e dizer-lhe que não é Portugal que está às avessas, mas sim, quem está às avessas, é ele próprio e o seu PSD.
Termino com a sugestão que a Federação de Viseu do PS fez a Pedro Passos Coelho: “que prescinda de vícios antigos, ou seja, falar sem dizer nada e, sobretudo, falar com falta de conhecimento”.
NOTA: Os deputados do PS apresentaram, mais uma vez, na Assembleia da República uma pergunta ao Governo sobre a urgente necessidade de requalificar a Estrada Nacional 222. É uma via estruturante para o Douro e para os concelhos ribeirinhos do norte do Distrito de Viseu e nesta fase de vindimas o problema é ainda mais candente porquanto toda a região demarcada do Douro está envolvida na sua maior actividade que são as vindimas.
Os problemas das pessoas serão sempre os nossos problemas e é nessa perspectiva que estaremos ao seu lado a tentar ajudar na sua resolução.

(Opinião) "Marmelada jurídico-constitucional"

A expressão é de Marcelo Rebelo de Sousa para se referir à proposta de revisão constitucional do PSD para a área laboral: “razões legalmente atendíveis” para despedir.
Mas para além da revisão, as ideias de Passos Coelho (PC) para outros sectores são verdadeiros manuais de desconhecimento da realidade. Vejam-se as suas recentes declarações em Viseu sobre a relação do Governo com as IPSS’s que disse serem de desconfiança.
Será que PC sabe que, por exemplo, no Distrito de Viseu temos 300 camas na rede de Cuidados Continuados, quando em 2005 tínhamos zero? Que temos, em curso e concluído, investimento público de mais de 27 Milhões de Euros em equipamentos sociais? Que em 2009 a despesa com a cooperação com as instituições foi de 47 milhões de euros contra os 37,5 milhões de 2005?
Todas as instituições têm planos e mais ambições, o que é saudável, mas nenhuma se pode queixar de falta de apoio e de contribuição, relevante, deste e do anterior Governo.
Portugal não está às avessas, quem está de costas para a classe média e para os mais desfavorecidos é PC e este PSD, cujas ideias se têm revelado uma verdadeira “marmelada” para os portugueses.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

(Opinião) Ao lado de melhores acessibilidades!

A EN 222 continua sem uma intervenção estrutural que já há muito se espera. E nestas matérias temos que ter posições claras. Tem sido esse, aliás, o comportamento dos deputados do PS eleitos pelo Distrito de Viseu.
E por isso, mais uma vez, apresentámos na Assembleia da República uma pergunta às Estradas de Portugal, através do Ministro das Obras Públicas, relativamente a esta via importantíssima para o Douro. A Estrada 222 merece ter uma requalificação de fundo. Mas o problema que agora se coloca é uma intervenção de urgência. Estamos em época de vindimas e no Douro esta época é de grande actividade.
E se o problema desta via afecta toda a estrada, desde Lamego à Pesqueira, o problema maior neste momento é entre as Bateiras e Ervedosa do Douro.
Esperamos que as Estradas de Portugal possam atender a esta nossa pretensão, ou melhor, à pretensão dos durienses e de todos aqueles que por ali diariamente passam para os seus locais de trabalho.
Aliás, este tema já mereceu da nossa parte várias interpelações e esperamos não ter que voltar a apresentá-lo na Assembleia da República.
A interpretação da nossa função de deputados é esta mesma. Daí que ninguém duvide da nossa persistência e perseverança na defesa das populações que nos elegeram.
O Douro, para nós, é demasiado importante para que fiquemos indiferentes quando os problemas afectam as suas gentes!

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

(Opinião) Às avessas está Passos Coelho!

Veja-se bem onde chegou o desplante de Passos Coelho: “Em Portugal está tudo às avessas!” Dito de outra maneira: Estão todos errados, eu é que sei!
Pois se o que sabe é propor revisões constitucionais destas, terá a resposta.
Pois se o que sabe é dizer que quem revela inacção deve ir fazer os trabalhos de casa, eu direi, continue a fazê-los pois até agora ainda não acertou com a sociedade.
Pois se o que sabe é dizer que este Governo não tem apoiado as IPSS’s fique a saber que até hoje nunca nenhum Governo investiu tanto em apoios e equipamentos sociais como o actual e o anterior Governo (PARES, MASES, Cuidados Continuados, Complemento Solidário para idosos, Creches, Lares…).
Pois se o que sabe é pedir desculpa aos portugueses, fique ciente de que os portugueses mais do que pedidos de desculpa querem determinação e medidas corajosas.
Pois se o que sabe é ameaçar com crises e fazer ultimatos fique a saber que a última coisa que os portugueses querem é ouvir falar de jogos de poder e de ameaças.
É assim mesmo! Passos Coelho está em desespero. A unidade (balofa) do Congresso esvaiu-se e já ninguém o ouve. Alguns já desertaram da sua equipa e os barões já se movimentam nos bastidores.
Os portugueses, esses, começaram a perceber para onde Passos Coelho e este PSD nos querem levar: Para um liberalismo económico puro e duro e para a teoria do salve-se quem puder.
Segundo ele todos os males vêm do Estado. Só falta mesmo dizer, morte ao Estado.
E se nesse modelo talvez alguns dos mais poderosos bem se governariam, todos bem sabemos que os mais frágeis e toda a classe média estariam subjugados a esses “superiores” interesses financerios!
Não, quem está às avessas não é Portugal, mas sim Passos Coelho e este PSD!

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

XIV CONGRESSO DO PS SERÁ EM MOIMENTA DA BEIRA

A COC decidiu que o XIV Congresso da Federação de Viseu do PS se realizará no dia 23 de Outubro (Sábado) em Moimenta da Beira, no Hotel Verdeal.
A Organização será levada a cabo em articulação com a concelhia local do PS e com o seu Presidente António Moura.
Ontem, dia 19 de Setembro, desloquei-me ao local com o Presidente da Concelhia.

Comunicado Federação do PS de Viseu: Passos não conhece a realidade das IPSS's

Em 2005, aquando da tomada de posse do 1º Governo do Eng. José Sócrates, a Segurança Social encontrava-se em situação de insustentabilidade, pondo em risco o pagamento das prestações e reformas devidas às pessoas e famílias e as IPSS, a quem os Governos PDS/CDS tinham prometido apoios, estavam asfixiadas financeiramente.
A primeira medida foi pôr as contas em dia, pagar “os calotes”, e depois, como se sabe, foram lançados os programas PARES e MASES que impulsionaram no distrito de Viseu, como no país, equipamentos e respostas sociais que são os maiores e mais qualificados de sempre da democracia portuguesa.
Acresce ainda, como as famílias sabem, a criação de cerca vinte Unidades de Cuidados Continuados, numa parceria entre a Segurança Social, a Saúde, IPSS e Misericórdias, com centenas de camas já em funcionamento e outras ainda em conclusão de equipamentos.
Todas as instituições têm, e é saudável que assim seja, mais planos e mais ambições, mas nenhuma delas pode dizer que não foi alvo - e que não continua a ser – do apoio e contribuição relevante do Governo.
Neste contexto, “Passos Coelho, que visitou durante a manhã de ontem duas instituições de solidariedade social de Viseu, criticou o Governo por nem sempre desempenhar bem a função de apoio a este tipo de instituições.”
E disse mais: “…para voltar a pôr tudo no direito, talvez seja preciso pôr quem tem as boas ideias a governare quem revela tanta inacção, se calhar, a fazer os trabalhos de casa que já não faz há muitos anos", apontou.”
Ora, se aprimeira afirmação revela “total desconhecimento da realidade – pura ignorância – já a segunda é muito pertinente, porque se Pedro Passos Coelho aplicar a si próprio o que acabou de dizer vamos tê-lo novamente fora da política, “se calhar, a fazer os trabalhos de casa que já não faz há muitos anos", e deixar em paz “quem tem as boas ideias a governar”.
Assim, a Federação Distrital de Viseu do PS sugere ao NOVO LÍDER DO PSD que prescinda de VÍCIOS ANTIGOS ou seja, falar sem dizer nada e, sobretudo, falar com falta de conhecimento.
A ausência de ideias que revela ao país não tem que ser acompanhada, necessariamente, por estas prestações infelizes que, ao contrário do que possa pensar, só o diminuem e não o ilustram.

domingo, 19 de setembro de 2010

75º Aniversário dos Bombeiros de Cabanas de Viriato

Estive presente, hoje, dia 19 de Setembro, em Cabanas de Viriato, concelho de Carregal do Sal, para me associar às comemorações dos 75 anos da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários locais.
Presidiu à sessão o Adjunto do Governador Civil do Distrito de Viseu, Leonel Gouveia e marcaram também presença, entre outros, o Vice-Presidente da Câmara de Carregal do Sal, vereadores e Presidente da Assembleia Municipal, a Directora Nacional de Bombeiros da ANPC, o Presidente da Liga de Bombeiros, o Comandante Operacional Distrital, o Presidente da Federação Distrital de Bombeiros, muitos autarcas do concelho, os órgãos sociais e comando da Associação e muitos dirigentes de associações e bombeiros da região.
Durante a sessão houve várias homenagens e condecorações a bombeiros pela associação e pela Liga e à associação pelo Ministério da Administração Interna que concedeu a medalha de mérito de Protecção e Socorro grau prata.