sábado, 31 de julho de 2010

Opinião - A minha posição sobre: Redução dos vencimentos dos políticos

Como se sabe, a propósito da consolidação orçamental e da redução do défice, foi aprovado na Assembleia da República o Plano de Estabilidade e Crescimento, vulgarmente conhecido por PEC (Lei 12-A/2010 de 30 de Junho), que prevê, entre outras medidas, a redução, a título excepcional, em 5%, dos vencimentos dos titulares dos cargos políticos, aspecto de que já na altura discordei (eu e muitos outros) por ser redutor, ao cingir a sua aplicação aos indivíduos detentores de determinadas funções, neste caso as funções políticas.
Veio mais recentemente o CDS/PP com novo Projecto de Lei (377/XI) que estende o âmbito da redução de vencimento aos membros dos gabinetes do Governo, dos Presidentes das Câmaras Municipais e dos Governadores Civis, projecto que veio a ser aprovado no dia 16 de Julho na Assembleia da República. Ou seja, o CDS/PP cingiu-se ao mesmo princípio, o do exercício de determinadas funções para se ter redução no vencimento. E utilizou o CDS argumentos demagógicos e populistas, esquecendo-se, Paulo Portas, do montante exorbitante que pagava a alguns dos seus colaboradores no Ministério de que foi titular.
Mas o que está aqui em causa é que a minha discordância tem a ver com o princípio subjacente a esta medida e daí ter apresentado Declaração de Voto na Assembleia da República aquando da votação.
Isto é, se temos um problema grave para resolver no país, e temos, o que devemos fazer é adoptar o princípio da universalidade de repartição dos custos, sem esquecer, nunca, a protecção dos mais carenciados.
E daí que, no meu entendimento, não se deveria ter adoptado a metodologia do titular de cargo político para a redução dos vencimentos, mas deveria, antes, ter-se adoptado a metodologia do valor do vencimento auferido e, assim, a redução excepcional a efectuar abrangeria todos quantos auferissem um vencimento superior a determinado montante, cuja redução deveria ser directamente proporcional ao vencimento auferido.
Isto é, estariam a ver o seu vencimento reduzido, com certeza, todos os titulares de cargos políticos, desde a Presidência, à Assembleia, do Governo da República aos Governos Regionais e Autarquias Locais, mas também vê-lo-iam reduzido todos aqueles que auferissem determinado montante de vencimento, equiparável aos dos titulares de cargos políticos e são tantos. Ora isso permitiria aumentar a receita e universalizar os custos a todos quantos têm vencimentos mais elevados, independentemente de serem titulares de cargos políticos.
É que com a estratégia que foi adoptada está-se a dar um péssimo sinal democrático. Haverá maus políticos, mas também os há bons, assim como em todas as demais funções do Estado e nas funções privadas.
NOTA: Fui acompanhado nesta matéria pelo Deputado José Rui Cruz e muitos outros da bancada do PS, alguns com diferentes especificidades.

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Opinião: As toupeiras...

Que estava completamente enterrado no processo Freeport, clamavam, por aí, em coro, os costumeiros liderados por alguns sectores da comunicação social…
Afinal, nada. Após longos seis anos de investigação, com cartas anónimas à mistura, nunca houve acusação, nem nunca foi ouvido… e agora Sócrates é completamente ilibado!
Que tinha conspirado contra o estado de direito e que queria manipular os media…
Afinal, nada. Após investigações, violações do segredo de justiça, ataques ao carácter… tudo acabou em nada, para desespero duns filósofos da marmeleira! Contra Sócrates é que, rigorosamente, nada!
Que tinha pressionado a PT, que assinou projectos enquanto deputado, que tinha difamado uma (tal) jornalista... e sei lá que mais…
Afinal, nada. Nem depois de uma Comissão de Inquérito, de centenas de primeiras páginas, de telejornais de boca larga… tudo acabou em nada, para desonra, sobretudo, de uma certa direita e de alguns poderosos lobby’s…
E mesmo assim as toupeiras vão continuar?
Quem tem dúvida?
(In: Jornal do Centro / Foto "roubada" do blog A Carta a Garcia)

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Câmara de Tarouca homenageou "Prémio Talento 2009" na área da Ciência

Em sessão que decorreu hoje, dia 29 de Julho, com a presença do Secretário de Estado da Administração Local, José Junqueiro, a Câmara Municipal de Tarouca homenageou, por proposta do seu Presidente, Mário Ferreira, o investigador HELDER ALMEIDA SANTOS, de 29 anos de idade, natural de Dalvares, do concelho de Tarouca e residente na Finlândia, onde desenvolveu o seu doutoramento na Faculdade de Engenharia Química, na Universidade Tecnológica de Helsínquia, uma das mais cotadas nos "rankings" europeus e mundiais.
O Professor Doutor Hélder Almeida Santos foi distinguido com o "Prémio Talento 2009" na categoria de Ciência. Este prémio é instituído pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros e pretende distinguir os portugueses e luso-descendentes residentes no estrangeiro que se destacaram no exercício de actividades em diversos sectores da vida social.
Estiveram presentes os deputados do PS eleitos pelo Círculo de Viseu, Acácio Pinto, Paulo Barradas e Helena Rebelo, a Chefe de Gabinete do Governador Civil de Viseu, Mónica Costa, para além dos vereadores, Presidente da Junta de Dalvares entre outros autarcas e representantes de instituições locais e, ainda, familiares.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Mulheres Socialistas: Fátima Ferreira apresentou recandidatura

Fátima Ferreira apresentou, hoje, dia 28 de Julho, a recandidatura a Presidente do Departamento Federativo das Mulheres Socialistas de Viseu, sob o lema "assumir com convicção".
Sustentou a sua candidatura em três razões fundamentais: "i) as evidências de uma participação construída em todo o Distrito; ii) a constatação dos muitos obstáculos que ainda persistem na promoção da igualdade de género; e iii) o apelo de consciência para firmar, com convicção, de novo, o meu compromisso com estas causas."
E disse ainda: "Assumo, pois, com convicção a minha recandidatura ao Departamento Federativo das Mulheres Socialistas para prosseguir nesta mesma rota de interacção com a Federação, com a Juventude Socialista, com os Autarcas e restantes estruturas partidárias do distrito, consolidando o trabalho com as equipas locais de mulheres. Ao fazê-lo assumo continuar a ser uma voz insubmissa."
As eleições decorrerão nos dias 8 e 9 de Outubro nas secções de todo o Distrito.
Para acompanhar as iniciativas da candidata consulte AQUI.

Combate difícil mas eficaz: o caso de um incêndio em Sátão (c/vídeo)

Estes últimos dias têm sido terríveis para o dispositivo de combate aos incêndios em todo o país. Tem havido dias com mais de quatrocentos incêndios!
Também no Distrito de Viseu o número tem sido elevado.
Mas aquilo que quero aqui ressaltar é a forma célere e rigorosa como actualmente se trabalha nesta área.
Temos uma linha de comando bem definida e temos um dispositivo bem dimensionado quer em meios materiais (aéreos e terrestres), quer em recursos humanos.
Vem isto a propósito de um incêndio que ontem à tarde, dia 27 de Julho, deflagrou, forte, numa área de pinhal denso, na parte ocidental da Serra do Seixo, bem perto do Travassinho (concelho de Sátão). De imediato os meios terrestres e aéreos foram accionados e passado pouco tempo de trabalho em conjugação de esforços o incêndio foi debelado.
Pude assistir, no local, ao trabalho contínuo de dois helicópteros, complementados pelos meios terrestres, que, rapidamente, extinguiram um incêndio que poderia ter arrasado uma das maiores manchas contínuas de pinhal da região.
Nem sempre tudo corre tão bem, é verdade. Desde logo se os meios estiverem, por exemplo, adstritos a um incêndio, quando outro e mais outro deflagram em simultâneo. E isto acontece, infelizmente e por mão humana, muitas vezes.
Temos, pois, nesta matéria, todos que colaborar com comportamentos de defesa da floresta e com um grande respeito perante todos quantos têm aos seus ombros a operacionalização de todo este complexo dispositivo de combate aos incêndios.
Mas, atenção, ninguém se pode colocar de fora deste processo.

Opinião: Constituição por medida!


Começa a ganhar sentido aquilo que Pedro Passos Coelho e o “seu” PSD querem para a Constituição: uma Constituição feita à medida de um pensamento político neoliberal, sem estado social, e de, através do reforço dos poderes presidenciais, descaracterização da sua matriz de equilíbrio de poderes que vem da década de 80.
Nada a opor enquanto opção, enquanto proposta. É uma entre tantas outras. Pedro Passos Coelho tem, é, que a conseguir, primeiro, impor dentro do seu próprio partido para depois a discutir com o PS. Tem que se entender quanto aos timings, e não só, com Marcelo Rebelo de Sousa, Paulo Rangel e Santana Lopes, para citar só alguns.
Agora daquilo que não nos devemos distrair é das consequências, para o nosso sistema político-partidário e para a vida das pessoas, que estas ideias, se aprovadas, encerram.
Na saúde a consequência é a destruição do actual Serviço Nacional de Saúde que, pese embora todos os defeitos que se lhe possam apontar, presta cuidados de saúde a todos, nos Hospitais Públicos, independentemente dos recursos financeiros dos doentes. Com a privatização as coisas não seriam bem assim!
Na Educação, a Escola Pública é uma das marcas mais fortes das últimas décadas, que tem permitido um acesso universal a todos com os consequentes ganhos de qualificação dos portugueses, nas várias áreas, seja nas humanidades, científicas ou tecnológicas! Seria um grande retrocesso entender que o privado é que era bom e a partir daí voltar a um sistema elitista.
Na Segurança Social conseguimos dar dignidade de vida à nossa população, nomeadamente aos mais vulneráveis (crianças, idosos ou portadores de deficiência) através de uma rede de equipamentos sociais invejável em termos europeus e mundiais e os rendimentos dos pensionistas viram a sua situação melhorada através de complementos diversos que discriminam positivamente (p.e. Complemento Solidário para Idosos). A sua privatização seria entregar o “ouro” às seguradoras e a despesa ao Estado.
Enfim, para já não falar do reforço dos poderes presidenciais que desde o início dos anos 80 o PS e o PPD (sim PPD!) entenderam formatar nestes moldes. Ou já se esqueceram dos governos de iniciativa presidencial promovidos pelo Presidente Eanes?
Social ou neoliberal? A escolha é dos portugueses! Pelo exposto prefiro o social!
(Foto: Pormenor do Salão Nobre da AR)

segunda-feira, 26 de julho de 2010

XIV Congresso da Federação de Viseu do PS

A Comissão Organizadora do XIV Congresso (COC) da Federação de Viseu do PS, constituída por Acácio Pinto (Presidente), Armando Martins, Carla Rodrigues, Fátima Ferreira e Lurdes Vieira, deliberou na sua primeira reunião que o Congresso se realizará no próximo dia 23 de Outubro de 2010. Quanto ao local poderão as concelhias candidatar-se, até 31 de Agosto, a organizá-lo no seu concelho.
Outras datas relevantes:
23 de Setembro (até) - apresentação das candidaturas a Presidente da Federação;
3 e 4 de Outubro - apresentação de listas a delegados ao Congresso (5 dias antes da eleição);
8 e 9 de Outubro - eleição, nas concelhias, do Presidente da Federação e dos delegados ao Congresso.
Qualquer informação complementar poderá ser solicitada à COC.

domingo, 25 de julho de 2010

Rui Pereira nos 125 anos dos Voluntários de Vouzela

O Ministro da Administração Interna, Rui Pereira, deslocou-se hoje, dia 25 de Julho, a Vouzela onde presidiu à sessão evocativa dos 125 anos dos Bombeiros Voluntários deste concelho de Lafões.
Depois de recebido pelos Bombeiros em frente ao Quartel numa formatura organizada pelos Comandantes Joaquim Tavares e Paulo Teixeira e da benção de duas novas viaturas, seguiu-se uma sessão solene no Salão dos Bombeiros, em que intervieram o Presidente da Direcção, Carlos Lobo, o Presidente da Federação Distrital dos Bombeiros, Rebelo Marinho, o Vice-Presidente da Liga, Paulo Hortênsio, o Presidente da Câmara, Telmo Antunes e o Ministro da Administração Interna, Rui Pereira.
Para assinalar este especial aniversário e os relevantes serviços prestados à comunidade durante 125 anos, a Associação com o apoio da autarquia e de agentes económicos locais adquiriu uma nova ambulância e recebeu 30.000 Euros da ANPC (Autoridade Nacional de Protecção Civil) que utilizou na aquisição de um VLCI (Veículo Ligeiro de Combate a Incêndios). Foi ainda condecorada pela Liga de Bombeiros Portugueses com a Fénix de Honra, e pelo Ministro, Rui Pereira, com a Medalha de Mérito de Protecção e Socorro, grau ouro, distintivo azul.
Foram também atribuídas aos Bombeios e aos estandartes das Associações do Distrito medalhas alusivas ao aniversário.
Do PS estiveram presentes os deputados eleitos pelo Círculo de Viseu Acácio Pinto e Helena Rebelo e do PSD a deputada Teresa Santos. Igualmente presentes, para além das personalidades já antes referenciadas, a Chefe de Gabinete do Governador Civil de Viseu, Mónica Costa, o Presidente da Junta de Freguesia de Vouzela, António Meneses, e muitos outros Presidentes de Junta, vereadores e membros da Assembleia Municipal, comandantes e directores de Associações de Bombeiros da região, órgãos sociais da Associação e muitas e muitos bombeiros, para além de inúmeros vouzelenes amigos dos seus bombeiros.
Parabéns e muitos mais anos ao serviço do concelho, da região e de Portugal!

sábado, 24 de julho de 2010

Membros do Governo no Distrito de Viseu

- O Secretário de Estado da Administração Local, José Junqueiro, deslocou-se no dia 16 de Julho a Cinfães para presidir à abertura oficial da XIV Feira de Artesanato, Gastronomia e Vinho Verde.
- O Secretário de Estado do Turismo, Bernardo Trindade, deslocou-se no dia 8 de Julho a Tondela para apresentação regional do programa Prove Portugal e para apresentação do Guia de Eventos Gastronómicos do Centro de Portugal.
- A Ministra do Trabalho e da Solidariedade Social, Helena André, deslocou-se no dia 5 de Julho, aos concelhos de Viseu, Mangualde e Penalva do Castelo, para, respectivamente, assinatura de contratos no âmbito do POPH, para inauguração de uma creche e para uma visita às obras de um equipamento social de multi-resposta.
- O Ministro da Administração Interna, Rui Pereira, deslocou-se a S.Pedro do Sul, no dia 4 de Julho, para presidir às comemorações dos 125 anos dos Bombeiros Voluntários de S.Pedro do Sul.
- O Secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna, José Conde Rodrigues, deslocou-se no dia 1 de Julho a Armamar e a Mangualde, para assinatura de protocolos relativos a novos quartéis da GNR.
- O Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Rui Barreiros, deslocou-se a Viseu, no dia 30 de Junho, por ocasião da Formação dos Estagiários da Administração Central, que decorreu na Aula Magna do IPV.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Opinião: Moção de censura à oposição!

No rescaldo do debate do Estado da Nação o que sobra é o mau estado da oposição. Senão vejamos:
1. A única ideia que Pedro Passos Coelho (PPC) trouxe aos portugueses nestes últimos dias foi a da alteração da Constituição, no sentido do reforço dos poderes do Presidente da República. Ou seja, através desta proposta, o que o PSD quer é que o Presidente possa demitir o Governo sem dissolver o Parlamento e indigitar um novo Primeiro-Ministro. Vinha mesmo a calhar. Sócrates era apeado por moção de censura dita construtiva e, sem eleições, PPC poderia até ser indigitado para o substituir.
2. E não é que por coincidência, alguns dias antes, Paulo Portas o que disse foi que estava disponível para ir para o Governo, com o PSD e com o PS, mas sem Sócrates? Mas que raio de propostas tem esta direita para o país? Quer o poder sem eleições?
Já não estamos no PREC!
Hoje o poder exerce-se com a legitimidade democrática: as urnas é que mandam!
Sobre as alterações constitucionais propostas pelo PSD, mais do que ouvir o PS, ouçam-se os cidadãos, alguns do PSD: Santana, Jorge Miranda, Paulo Rangel, Capucho…
(Publicado: Jornal do Centro de 2010.07.23)

Opinião: A cigarra e a formiga - criação de 300 postos de trabalho na PSA

Enquanto o PSD anda entretido com os poderes presidenciais e com um conjunto de propostas de alteração à Constituição alguém tem que trabalhar em prol de Portugal e dos portugueses. Ou seja, a oposição, mas nomeadamente o PSD, anda numa permanente cantoria populista e demagógica, qual cigarra bem cantante, ou não estivéssemos nós na “silly season”.
Mas, como em tudo na vida ou na estória, tem que haver sempre alguém que trabalhe. E não se diga só que é ao Governo que compete fazê-lo. Com certeza que a legitimidade eleitoral, a de ser poder, lhe atribui a execução das políticas do país, mas à oposição a mesma legitimidade, a de ser oposição, lhe confere a superior responsabilidade de cooperação com o Governo na resolução dos graves problemas com que nos confrontamos.
Vem isto a propósito da criação de 300 postos de trabalho na Fábrica da Peugeot/Citroen em Mangualde. E o que temos todos que fazer, é congratularmo-nos com tal desenlace que resulta de um trabalho concreto e objectivo e de parceria entre a administração central, a administração local e o sector privado.
Se a Fábrica tivesse encerrado a que estaríamos neste momento a assistir? O que estaria a fazer a oposição e o PSD, nomeadamente o PSD de Viseu? O que estariam a fazer os responsáveis sociais democratas regionais?
Todos bem sabemos o que fariam. Estariam na primeira fila, num palanque bem visível, não fossem as câmaras televisivas confundi-los com a floresta. Lá estariam a carpir lágrimas de crocodilo. Lá estariam de megafone em punho a acusar os socialistas, o Presidente da Câmara de Mangualde e os governantes. Mas lá estariam sem terem dado um único passo que tivesse permitido a defesa daquela unidade fabril.
Mas como nada disso aconteceu custa-lhes (bem sei que muito) dizer aquilo que é óbvio, mas sem hipocrisia: Que esteve bem o Governo, através do Secretário de Estado da Administração Local, José Junqueiro e através da AICEP e de Basílio Horta ao terem-se deslocado recentemente à unidade de Mangualde; que esteve bem a Câmara de Mangualde e o seu Presidente, João Azevedo, ao ter viabilizado todo o processo de ampliação das instalações; que esteve bem a Administração da PSA ao acreditar nas pessoas que com elas construíram e honraram um compromisso.
Custava pouco e era politicamente sério. A política é uma actividade tanto mais nobre quanto mais os seus agentes se posicionarem de uma forma transparente e clara nos processos. Quanto mais colocarem os nichos de mercado, as corporações e os monopólios em último plano quando estão em causa os superiores interesses nacionais, como é o caso.
Em política não vale tudo e a oposição, nomeadamente o PSD, não se deveriam refugiar no silêncio quando se trata de elogiar este excelente trabalho de parceria levado a cabo e que vai permitir que a partir de Novembro o 3º turno (trabalho contínuo) da Fábrica de Mangualde entre em funcionamento e se passem a produzir mais viaturas destinadas ao mercado externo, destinadas à exportação.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Declaração de voto dos deputados Acácio Pinto e José Rui Cruz

«Os deputados do PS, Acácio Pinto e José Rui Cruz, votaram contra o Projecto de Lei 377/XI do CDS/PP (Redução de vencimento dos membros dos gabinetes do Governo, dos Presidentes das Câmaras Municipais e dos Governadores Civis), aprovado no dia 16 de Julho na Assembleia, com a seguinte declaração de voto:
1. Através da Lei 12-A/2010 de 30 de Junho, da Assembleia da República, que aprovou um conjunto de medidas adicionais de consolidação orçamental (vulgarmente designada de PEC), os vencimentos dos titulares dos cargos políticos e a redução dos gestores públicos e equiparados sofreram uma redução a título excepcional de 5%;
2. Veio agora o CDS propor e fazer aprovar que, para além dos titulares de cargos políticos, tal redução de vencimento seja extensível aos elementos dos gabinetes dos membros do Governo, dos Presidentes de Câmara e dos Governadores Civis;
Porém, impõe-se deixar, a este propósito, de forma clara alguns aspectos correlacionados com esta matéria e que correspondem ao pensamento dos signatários:
i) Em tempos de grave crise internacional, económica e financeira, como aqueles em que vivemos, torna-se imperioso que os Governos adoptem medidas diversas, excepcionais, com o objectivo de consolidação orçamental e de recuperação da actividade económica;
ii) Defendemos que as medidas a adoptar para atingir os objectivos referenciados devem ter em conta dois princípios: o da universalidade de repartição das dificuldades e o da protecção dos mais carenciados;
iii) Daí que, no nosso entendimento, não se deveria ter adoptado a metodologia do titular de cargo político para a redução do vencimento (de que o projecto do CDS/PP não se solta e usa até de uma forma demagógica e populista), mas deveria ter-se adoptado a metodologia do valor do vencimento auferido e, assim, a redução excepcional a efectuar abrangeria todos quantos auferissem um vencimento superior a determinado montante, cuja redução deveria ser directamente proporcional ao vencimento auferido.»

Mais 300 postos de trabalho para a PSA de Mangualde

A propósito da criação de mais 300 postos de trabalho na PSA/Citroen de Mangualde a Federação de Viseu do PS emitiu o seguinte comunicado:
«A Federação de Viseu do Partido Socialista congratula-se com a decisão da Direcção do Centro de Produção de Mangualde do Grupo PSA, de criação de um terceiro turno a partir de Novembro de forma a responder à previsão das encomendas.
Com esta decisão serão criados 300 postos de trabalho, passando a empresa a empregar cerca de 1200 trabalhadores e a ter como referência uma produção de 260 veículos por dia.
Ora aqui está um excelente exemplo em que a conjugação de esforços e a parceria entre administração central, administração local e empresa permitiu este desenlace.
Importa registar que este reforço de postos de trabalho tem por base uma relação de confiança entre as instituições públicas e privadas e, neste caso concreto, contou com o grande envolvimento do Secretário de Estado da Administração Local, José Junqueiro, do Presidente da Câmara de Mangualde, João Azevedo, do Presidente da AICEP, Basílio Horta e da PSA, que, nos últimos meses, se desdobraram em esforços para que este objectivo se tivesse atingido.
É uma boa notícia para Mangualde, para o Distrito de Viseu e para o país e revela que as políticas que José Sócrates e o Governo têm vindo a desenvolver, de grande determinação no combate à crise internacional, estão a dar frutos.
Ou seja, enquanto o PSD de Pedro Passos Coelho se entretém a discutir propostas de alteração da Constituição e os poderes do Presidente o PS está mais empenhado em encontrar soluções para os problemas e em criar empregos para os portugueses.
Ficamos a aguardar pelas declarações do PSD sobre esta matéria para ver se, finalmente, tem a dignidade e a responsabilidade política de felicitar o bom trabalho efectuado e a excelente parceria estabelecida.
Na política não vale tudo e a oposição, nomeadamente o PSD, não se pode refugiar no silêncio quando estamos perante notícias como esta, de criação de 300 postos de trabalho para o Distrito de Viseu cujo recrutamento começará de imediato, a formação irá decorrer durante os meses de Setembro e Outubro e a normal laboração da equipa nos princípios de Novembro.»
Foto: Mangualde online

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Audição da Ministra do Ambiente

Ontem à tarde, dia 20 de Julho, pelas 16.30 h participei na audição da Ministra do Ambiente e do Ordenamento do Território, Dulce Pássaro, a propósito dos Resíduos da Siderurgia Nacional depositados em terrenos privados em São Pedro da Cova, no concelho de Gondomar.
Sobre este problema, que já se arrasta há cerca de dez anos, a Ministra do Ambiente referiu que está em curso um Programa Nacional de Recuperação dos passivos ambientais e que neste caso concreto o LNEC está já a efectuar a caracterização dos resíduos para posteriormente se elaborar um programa de intervenção de acordo com as características dos resíduos ali existentes.

terça-feira, 20 de julho de 2010

Visita ao Parque Natural da Arrábida

Hoje, dia 20 de Julho, integrei a delegação de deputados, da Comissão de Ambiente, Ordenamento do Território e Poder Local, que se deslocou em visita de trabalho ao Parque Natural da Arrábida.
Esta visita constou de um percurso pedestre no "Alto do Jaspe" com visita à Mata do Solitário e de uma visita ao Museu Oceanográfico do Portinho da Arrábida onde foi apresentado o Projecto Life Biomares.
No final houve uma sessão em que participaram os deputados, o Presidente do Instituto de Conservação da Natureza, a Presidente da Câmara de Setúbal e um vereador da Câmara de Palmela.
A visita foi acompanhada por técnicos do ICNB que foram esclarecendo todas as dúvidas colocadas ao longo do percurso.